Polícia Federal investigará câmeras escondidas encontradas no apartamento de deputada

© Renato Araujo/Câmara dos Deputados

 

Ministro interino da Justiça determina entrada da PF no caso de violação de domicílio e registro não autorizado de intimidade

 

 

A Polícia Federal (PF) dará continuidade às investigações sobre as câmeras escondidas encontradas no apartamento da deputada federal Dayany Bittencourt (União-CE), em Brasília. O caso, que já estava sendo apurado pela Polícia Civil do Distrito Federal desde 2023, ganha um novo capítulo após determinação do ministro interino da Justiça e Segurança Pública, Manoel Carlos de Almeida Neto.

A descoberta das câmeras ocorreu quando assessores da parlamentar encontraram os dispositivos escondidos em meio a disparadores de água e sensores de fumaça, no ano passado. Além das câmeras, foram encontrados microfones, cabos de internet, um aparelho gravador DVR e um modem no local. Segundo informações da PF, o gravador contém 164.325 registros audiovisuais.

O ministro Almeida Neto, em seu ofício, mencionou a “suposta prática dos crimes de violação de domicílio e registro não autorizado de intimidade” contra a deputada durante o exercício de seu mandato e atividade política. A entrada da PF no caso visa esclarecer as circunstâncias e identificar os responsáveis pela instalação das câmeras e acesso aos registros audiovisuais.

Durante as investigações preliminares, foram realizados laudos e exames periciais, além de identificação e oitiva de pessoas envolvidas. No entanto, mesmo após cerca de oito meses de apuração, a perícia no gravador DVR não esclareceu se as imagens foram acessadas remotamente. O foco da Polícia Federal será investigar o funcionamento do gravador e analisar os registros encontrados no apartamento da deputada.