Em entrevista nesta segunda, 23, ao Correio Braziliense, o vice-governador Paco Britto, salientou o legado deixado pelo ex-governador Joaquim Roriz e o de José Roberto Arruda. Além da união entre ambos pelo Distrito Federal.

Segundo Paco, o primeiro representa mudanças e obras e o segundo, o social. “Nós conseguimos juntar isso, resgatar essas duas esperanças”, sublinha.

Na avaliação do vice-governador, o chefe do Executivo agregou valores imprescindíveis com as essências do governo Arruda e do governo Roriz.

Paco deixou claro sua permanência como vice-governador na chapa Ibaneis – que não tem um plano B. “Meu plano A é ser vice na chapa do chefe do Executivo local Ibaneis Rocha, e o plano B é fazer com que o plano A dê certo”, enfatizou.

Na visão de Paco, o movimento de pré-candidatura é momentâneo e que se dá com todos os adversários políticos. “Onde estou agora, na vice-governadoria – isso passa, mas nós somos daqui – convivemos aqui – então nós estamos sempre juntos”, disse Paco em relação aos seus possíveis rivais políticos.

Paco destacou a legítima ação em pleitearem a vice, em que ele ocupa e diz ser adepto do ditado popular: “Em time que está ganhando, não se mexe”, e usa a prerrogativa para afirmar que o governo do DF conseguiu vencer, e segue vencendo, a pandemia. “Tivemos uma pandemia durante dois anos e agora uma guerra que reflete na economia do Brasil e em Brasília”, frisou.

Ele destacou as obras feitas na gestão de Ibaneis que estão iniciadas, ou que serão concluídas – “Temos muitos viadutos inaugurados, obras que estão realmente sendo feitas. Nós mostramos a que viemos nesses dois anos. No finalzinho do ano passado e neste ano, estamos fazendo as entregas prometidas. Apesar de no plano de governo não ter promessas, estamos cumprindo compromissos, eles estão sendo realizados”, enalteceu.