Brasília se apresenta para ser capital da tecnologia

0
456

 

 

GDF e o setor produtivo local receberam fundadores do Web Summit nesta sexta (19) e reafirmam vontade de sediar conferência em 2023

 

Por Hédio Ferreira Júnior 

A recepção começou no Aeroporto Internacional Presidente Juscelino Kubitschek, passou pelo Ginásio Poliesportivo Nilson Nelson e, no final da tarde desta sexta-feira (19), chegou à região central da cidade, na Torre de TV. Na apresentação de Brasília, candidata à sede na América Latina da maior conferência de tecnologia e inovação do mundo, representantes do Governo do Distrito Federal (GDF) e do setor produtivo receberam a comitiva de organizadores da Web Summit.

A escolha da cidade e do local é um dos primeiros passos para a realização de uma conferência dessa magnitude. Depois que a cidade se candidata, ocorre uma visita presencial, de inspeção técnica – que foi o que Patrick Cosgrave, diretor executivo do evento e comitiva vieram fazer em Brasília. Na ocasião, são verificadas as condições preliminares requeridas ao local-sede, como aeroportuária, hospitalidade, acessibilidade e logística – uma espécie de confirmação das imagens de internet, vídeos e apresentações realizadas por ocasião da candidatura.

BRASÍLIA É REALMENTE MUITO INTERESSANTE, UMA CIDADE ÚNICA QUE QUEREMOS CONHECERPATRICK COSGRAVE, DIRETOR EXECUTIVO DA WEB SUMMIT

São observados onde estão localizados os hotéis, a distância da região hoteleira até o aeroporto, o deslocamento ao local do evento, e das proximidades com shopping centers e áreas para alimentação e entretenimento. Também são observados os fatores segurança e as facilidades no destino, além da riqueza e maturidade do ecossistema de tecnologia e inovação da cidade.

“É fato de que o DF tem condições elegíveis para sediar o evento, abriga uma excelente rede hoteleira, possui amplos espaços para sediar o evento e, principalmente, possui um ecossistema de tecnologia e inovação à altura do Web Summit”, afirmou o secretário de Ciência e Tecnologia do DF, Gilvan Máximo.

CEO e idealizador do evento – já sediado em Toronto, no Canadá, em Hong Kong, na China, e, no início do mês, em Lisboa, Portugal -, Patrick Cosgrave começou a ver de perto as vantagens de trazer para o DF a conferência responsável por movimentar, só este ano, cerca € 300 milhões na edição portuguesa, com mais de 50 mil participantes. “Brasília é realmente muito interessante, uma cidade única que queremos conhecer”, disse ele, do alto do mirante da Torre de TV. Confira o vídeo:

Mais visitas no sábado

Neste sábado (20), a comitiva da Web Summit vai conhecer o Parque Tecnológico de Brasília (Biotich) e o pavilhão de exposições do Parque da Cidade D. Sarah Kubitschek. “O Parque é a cereja no bolo. Criamos um fundo imobiliário que pode chegar a R$ 6 bilhões para desenvolvimento do novo Distrito de Inovação e Tecnologia. Nossa capital é um museu a céu aberto, segura e com uma economia pujante”, ressaltou o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa.

O setor produtivo de Brasília anda animado com a expectativa da capital sediar a Web Summit a partir de 2023. Ricardo Caldas é presidente do Sindicato das Indústrias da Informação do DF e espera que a economia seja fomentada, com geração de emprego e renda. “Nosso setor está carente pela falta de eventos de grande porte como esse no Brasil. Será bem importante, tanto para a indústria, quanto para o comércio e o setor de serviços a exposição dos nossos produtos”, aposta. (Agência Brasília)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui