Rodrigo Pacheco foto reprodução

 

Ele é favorável à criação de conta de estabilização de preços dos combustíveis

 

 

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, voltou a exercitar seu jeito embromador de sempre defendendo, nesta sexta-feira (17), que o governo “deve aceitar” dividir os lucros da Petrobras com a população, como se houvesse uma posição do Executivo contra isso.

Para ele, deve-se criar uma conta de estabilização de preços para “controlar o aumento dos combustíveis”, sem explicar como isso se daria.

Pacheco divulgou nota após a Petrobras anunciar mais um reajuste na gasolina e no diesel vendidos às distribuidoras. Os novos preços passam a valer neste sábado (18).

Leia a seguir, a íntegra da nota:

“Se a situação dos preços dos combustíveis está saindo do controle, o Governo deve aceitar dividir os enormes lucros da Petrobras com a população, por meio de uma conta de estabilização de preços em momentos de crise. Afinal, é inexistente a dicotomia Petrobras e Governo, pois a União é a acionista majoritária da estatal e sua diretoria indicada pelo Governo. Além disso, medidas semelhantes estão sendo adotadas por outros países em favor de sua economia e de sua população.

O Senado aprovou inúmeras matérias legislativas que estavam ao seu alcance e agora espera medidas rápidas e efetivas por parte da Petrobras e de sua controladora, a União. Já que o governo é contra discutir a política de preços da empresa e interferir na sua governança, a conta de estabilização é uma alternativa a ser considerada.

 Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado”. 

Com informações do Diário do Poder