Em entrevista à Rádio Sucesso-FM, o ex-distrital também destacou importância de investimentos nas áreas de saúde e mobilidade urbana

 

 

O pré-candidato a deputado Distrital Tabanez (MDB) voltou a defender melhores condições de trabalho para os policiais militares do Distrito Federal. Em entrevista concedida a Rádio Sucesso-FM, na manhã desta sexta-feira (13) o ex-parlamentar também falou sobre saúde, transporte público, segurança e respondeu as dúvidas dos ouvintes.

 

 

Tabanez iniciou sua participação parabenizando a Polícia Militar do Distrito Federal pelos 213 anos que vem servindo e protegendo a população da capital com excelência. Aproveitou para celebrar a Lei Áurea que está completando 134 anos hoje, sendo um marco em busca do fim da escravidão.

 

 

Quando questionado sobre trabalhos realizados na sua passagem na Câmara Legislativa, o pré-candidato esclareceu: “a principal função do deputado Distrital é de fiscalizar a destinação do dinheiro público. Observando isso, realizava visitas em Upas e Hospitais na madrugada, averiguando o atendimento ofertado a população quando mais precisa”.

 

 

O transporte público também foi abordado na entrevista, e o ex-deputado Distrital afirmou que as condições de atendimento à população do Distrito Federal e do Entorno são precárias e que necessitam de reformas profundas para servir com qualidade os usuários.

 

 

Na conversa, Tabanez defendeu que “a segurança é a base para uma sociedade ordenada, e esse profissional deve ser reconhecido. Em apenas 19 dias na Câmara Legislativa, mostrei, com ações, que sou capaz de assumir a cadeira. Nesse período, apresentei 49 PLs e 22 Indicações, dentre elas, apresentei a indicação n° 8349/22 ao governador Ibaneis Rocha (MDB) a retirada de impostos sobre voluntariado gratificações da PMDF e do CBMDF para evitar problemas futuros a categoria”.

 

 

Sobre uma dúvida apresentada por um ouvinte sobre a ausência de um apoio fixo aos instrutores de trânsito, Tabanez explicou que “muitas vezes o aluno e, até mesmo, o próprio instrutor, precisam de um local apropriado para fazer suas necessidades e não tem nenhum tipo de apoio nos locais fixos de aulas e treinamento, como um banheiro químico. E isso é algo que vou solicitar no mandato”, concluiu.

 

Por Osvaldo Aguiar estagiário sob a supervisão de Josiel Ferreira